sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Um bom livro para começar o ano.

Cada coisa tem um jeito de começar.

No Brasil, por exemplo, que adota o calendário gregoriano – baseado no movimento do sol –, o ano começa a cada primeiro de janeiro.

Em qualquer canto do planeta, um livro para crianças começa com a imaginação do autor pedindo para ganhar asas, palavras e o olhar atento dos leitores.

Aqui no blog, uma resenha começa com o livro que teima em não descansar na estante pois o nosso olhar de menino é guloso. Adora boas histórias. Não se contenta com uma delícia de livro só uma vez. E aí ele vai ficando na cabeceira da cama, na mesa da sala, no banco do carro, até que repousa na mesa do computador esperando que a gente escreva um carinho que encante novos leitores.


Foi assim com COMO COMEÇA?, livro de Silvana Tavano, ilustrado por Elma (Callis Editora). Ele chegou aqui na Toca dos Roedores no início de 2009 logo após uma visita a um distribuidor local. Gostamos muito da ilustração da capa e o livro veio ainda lacrado pelo plástico. Pagamos pra ver. E ganhamos a aposta. Quando nosso olhar descobriu o livro mais uma vez a mágica se fez. Voltamos a ser criança. Sorrimos. Brincamos com as palavras e com as tantas possibilidades que o livro nos oferece para soltar a imaginação. Um banquete para a fantasia. Banquete que ganhou mais cores e sabores com as ilustrações de Elma.

Silvana Tavano não conta uma história nesse livro. Não há mistérios em gavetas, crises e encrencas de bruxa, aventuras de um pai namorador. Tudo isso ela deixou para seus outros livros. Em Como Começa? Silvana fez o mais difícil. Compôs frases curtas. Muitas afirmações. Poucas palavras para despertar a inteligência do leitor que, sem querer, descobre que já sabia o começo de muita coisa embora não estivesse atento a isso. Em outros momentos a autora não entrega todo o jogo. Também deixa no ar algumas perguntas. A minha preferida é descobrir se o mar começa ou termina na areia. Há outras sacadas geniais. Coisas que nem sempre começam sendo o que são. Começos que nao aparecem. Começos que só acontecem por impulso de uma vontade.


O texto oferece ao ilustrador inúmeras possibilidades. Por isso não deve ter sido fácil para Elma encontrar o caminho certo para que o livro ganhasse cores e formas e texturas. Mas ela não se perdeu. Muito pelo contrário. Usou tintas, lápis, papéis diversos para compor os cenários, uma menina linda e muitos pássaros que voam pelo livro como a minha imaginação cada vez que mergulho em suas páginas. Mais que imprimir uma beleza ímpar ao livro, as ilustrações de Elma exalam afeto por todo lugar. É como se uma pessoa querida estivesse ali de braços abertos esperando o leitor para começar um abraço.

E é esse abraço coletivo – de Silvana, Elma e dos Roedores de Livros – que oferecemos a você neste primeiro dia do ano. Pois um livro que mostra como começa uma amizade e um sorriso só pode ser um grande presente. Um bom livro pode mudar sua vida. E para saber onde as coisas vão dar, só tem um jeito: começar! Feliz ano novo. Hatuna Matata!

4 comentários:

Alessandra Roscoe disse...

Isso é que é começar bem!
Que delícia, Tino. O livro ´pe mesmo lindo e com seu apetitoso incentivo, tenho certeza que muitos leitores vão querer começar ligo a descobrir os encantos deste e de muitos outros livros!
Um grande ano pra você e todos os roedores!

###a.l.#### disse...

De fato, uma grande caminhada começa sempre com o primeiro passo!

Parabéns!

MAGNUM OPUS
O Mantra do Infinito
Autor: Orácio Felipe
Descrição :
Papai estava enfermo, sofrera um acidente. Ele havia afrontado Deus. Mas ele teria mais uma chance. Antes porém, haveria de ser iniciado, afim de que mudasse seus hábitos. O livro conta a história de um novo Cavaleiro do Templo e sua viagem.

www.clubewdosautores.com.br

Mi disse...

nossa, esse é um dos meus livros favoritos, daqueles mais queridos. Já o dei de presente várias vezes, pq o sinto mesmo como um carinho que se quer fazer em alguém. Comprei para minha filha há alguns meses, mas só entreguei no natal, pq queria ter certeza que ela iria conseguir absorve-lo. Acho que acertei na espera...

Mi disse...

ah, e quero confessar que Elma é minha ilustradora favorita... os traços e texturas dela sempre me reportam para os lugares mais agradáveis. "Vento" é outro na minha lista de favoritos.
bjs