quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Roedores de Livros, Tchê!!!

De 31 de outubro a 16 de novembro aconteceu a 54ª Feira do Livro de Porto Alegre, o maior evento do setor, realizado a céu aberto, no continente americano. Eu e o Tino fomos convidados a algumas participações na programação de lá e vimos uma tremenda organização que deve servir de espelho para as tantas feiras do livro que acontecem pelo Brasil. A partir desta postagem ofereceremos aos leitores deste Blog um pouco do que observamos nos dias em que os Roedores de Livros andaram pelos vários corredores construídos na Praça da Alfândega e à beira do apaixonante rio Guaíba.
Foi a nossa primeira vez na Feira de POA. Embora todo mundo falasse bem e tudo o mais, não imaginávamos o que seria o tal do "tudo o mais". Há uma ilha no meio da praça para colhermos as informações sobre onde se encontra os livros de tais editoras. Isso porque são mais de 150 barracas repletas de livros (veja aqui o MAPA ADULTO e o MAPA INFANTIL). Todas seguindo um mesmo padrão estético, feitas de madeira, reforçando a idéia de "feira". A distribuição das barracas fica por conta da Câmara Rio-Grandense do Livro, presidida por João Carneiro. Um sorteio define qual o espaço que cada livreiro ou distribidor ocupará. Além de bonita, a feira é democrática.
Fica difícil imaginar que uma feira de tal porte sobreviva "apenas" da venda de livros ao consumidor final. Sem os tão afamados vales-livros distribuídas pelas secretarias de educação municipais tão presentes em outros eventos do gênero. Mas a Feira de Porto Alegre - aberta ao público, sem cobrança de ingressos - vendeu neste ano mais de 400 mil livros sem o tal apoio institucional. Um número expressivo. Sinal de que o povo gaúcho tem uma relação intensa com a cultura da leitura. Em qualquer dia da semana vimos muita gente circulando nos corredores, comprando livros, participando das oficinas, das outras atrações paralelas (o estado homenageado - Pernambuco - truxe uma extensa programação cultural) e das sessões de autógrafos.
Foram lançados mais de 800 livros durante a feira. As sessões de autógrafos ficavam concentradas num setor exclusivo, com uma barraca ao lado vendendo exclusivamente os livros que participariam daquela programação. Todo dia o acervo era trocado recebendo os novos lançamentos. Alguns títulos saíam deste circuito (os infantis, por exemplo) tinham seu espaço no Cais), mas a maioria dos lançamentos aconteceram ali. Um número expressivo de autores locais, além de convidados de todo o Brasil, transformavam aquele local num emaranhado de filas para autógrafos. Bonito de se ver.
Incrível também a atenção que a produção da Feira prestou aos convidados (autores, ilustradores e demais convidados). Desde a acolhida no aeroporto, ao acompanhamento na feira e outras carícias, tudo nos pareceu rico em cuidados. Sem muito espaço para reclamações. Como não acompanhamos muito a programação adulta, acho imprescindível, neste primeiro momento, exultar o trabalho de SÔNIA ZANCHETTA, Coordenadora da Área Infantil e Juvenil da Feira. Ela parece ter o domínio da coisa. Chama todos pelo nome, sabe os atalhos para resolver os imprevistos (é claro que eles acontecem) e - como vocês podem ver na foto acima, ao lado do Tino - exibe um sorriso largo e sincero mesmo no últmo dia da Feira. Ela está ali, acima de tudo, por amor ao universo da literatura. Paixão e trabalho unidos formando um evento de sucesso. Bonita de se ver e de conviver. Valeu, Sônia.
Por fim, deixo vocês com o gostinho de acompanhar aqui, nas próximas postagens, alguns encontros maravilhosos, o relato de algumas oficinas, a exposição Traçando Histórias, a homenagem ao Poeta Elias José, o trabalho da Confraria das Letras em Braile, a Biblioteca do Cais, nossa participação na Vitrine Literária, o projeto Asteróide e outras visitas paralelas à feira. Esta última foto retrata a delícia diária de ver o sol se esconder no Guaíba a cada final de tarde, ali, em frente aos armazéns cheios de livros e amigos na Feira do Livro de Porto Alegre. Bonito de se viver. Já sentimos saudade. Voltaremos. Hatuna Matata.

Um comentário:

Hanna disse...

OLá Ana Paula e Tino!

Que alegria reencontrá-los aqui, neste blog tão bonito!

Fiquei muito feliz em conhecê-los durante a Feira do Livro de Porto Alegre e espero que nosso caminhos se cruzem mais e mais vezes.

O trabalho de vocês é maravilhoso!

Beijos

Hanna