quarta-feira, 15 de agosto de 2007

A mais malvada das malvadíssimas mulheres...

Quando estávamos no Rio de Janeiro fomos conhecer um sebo indicado pela Mariana Massarani. Chama-se Beta de Aquarius e fica no bairro do Catete, pertinho do Flamengo, onde estávamos hospedados. Lá, parecia que o tempo havia parado. Uma aura mística envolvia o lugar. Talvez fosse a presença de Ísis, a gata siamesa que estava sempre ao lado do simpático proprietário Antônio. Ela parecia personagem saída do filme MIB (Homens de Preto). Olhava para nós como se buscasse os livros da nossa mente. Encantados pela aura do local e seus habitantes, mergulhamos naquela floresta de livros em busca de alguma preciosidade. Encontramos a primeira edição da Bolsa Amarela, entre outros títulos que insistiram em mudar para Brasília. Nestes, um chamou mais atenção que os outros: A PIOR MULHER DO MUNDO (Fernando Hinojosa, Nova Fronteira).
Não, não era nenhum especial do Guinnes e sim uma história espetacular sobre injustiça, maus tratos e esperteza para se livrar das adversidades. O livro conta a história de uma mulher malvada, “a mais malvada das mulheres malvadíssimas do mundo”. Maltratava os filhos, os animais, os cidadãos daquele local. Todos tinham medo dela. Seu prazer era provocar o outro. Incomodar. Ferir. O conto segue até que um dia a população descobre um meio de “derrotá-la” usando da sabedoria do homem mais velho do povoado. O mexicano Fernando Hinojosa é um premiado escritor de literatura infantil no seu país com livros publicados no mundo inteiro. Neste livro, criou um texto que, lido em voz alta para as crianças, provoca interjeições. ARGH!!! UI! NOSSA!!! CARACA!!!
As ilustrações do Rafael Barajas são extensões do texto. Carregam a mesma força do beliscão na bochecha e do limão pingando no olho. Na edição brasileira os desenhos estão em preto e branco mas é fácil imaginar as cores das malvadezas da pior mulher do mundo. Não pense que é um livro politicamente correto. Mas é aí que está o seu encanto. Se seu filho (assim como os Roedores de Livros) se diverte cantando Atirei o Pau no Gato e O Cravo Brigou com a Rosa, vai devorar este livro. Vai odiar a pior mulher do mundo. Vai ler a história até o fim para descobrir como ela foi enganada. E vai crescer e se tornar um cara legal assim como o menino maluquinho. E se você está no Rio de Janeiro, corre lá no catete para conhecer a Ísis e o Antônio. Com certeza você encontrará um livro com o desejo de ser adotado. E o precinho, ó... vale a pena!!! That´s all, folks.

3 comentários:

Anônimo disse...

Para reflexão: adote um livro e se torne um funcionário da fantasia pública!

Edna Freitass disse...

Para reflexão: adote um livro e se torne um funcionário da fantasia pública!

Fátima disse...

Ol� Ana Paula
Acompanho o trabalho de voc�s h� pouco tempo. Tamb�m sou uma roedora. H� uma pilha me espiando todos os dias! Ontem acabei de (re)ler O Romance de Trist�o e Isolda da Cole�o Gandhara, Ed. Martins Fontes. Es-pe-ta-cu-lar!!!
Estou lendo a Cl�o Busatto e o Daniel Munduruku. Moro no Rio de Janeiro, mas n�o conhe�o esse sebo. Vou procurar esse livro porque gostei do tema e andava mesmo procurando um autor de literatura infanto-juvenil hispano-americana para fazer um trabalho de sala de leitura com os alunos da escola onde trabalho para a Bienal.
S� lamento n�o ter puxado ao meu av� Jo�o, um contador de hist�rias, nascido ainda no s�culo XIX e embalado pela hist�rias do Velho Chico! Apenas leio hist�rias. Tenho p�ssima mem�ria!
Talvez nos encontremos no Simp�sio.
Abra�os.