terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Lilli, lilli, lilli... bzbzzzzzzzzzzz... LILLIPUTZ!!!

Não é novidade por aqui o fato de gostarmos MUITO dos livros de Hermes Bernardi Junior. O gaúcho escreve como se futricasse lá dentro do leitor. Acarinha, belisca, faz cócegas e a gente sai diferente das saus páginas. Mas, como já disse, gostar dos livros de Hermes não é novidade. Mas na 1ª Flipiri (Festa Literária de Pirenópolis) descobrimos o Hermes CONTADOR DE HISTÓRIAS, assim mesmo, em maiúsculas.

Sua apresentação na Casa de Câmara e Cadeia na tarde de sábado, 14 de fevereiro, coroou uma mini turnê que percorreu escolas e os saraus na pousada Casa Grande. O hit foi sua performance ao narrar LILLIPUT DE SORVETE E CHOCOLATE, livro que publicou em 2003, e que se encontra esgotado.
A história do menino que não conseguia se expressar e se apequenava - ou lilliputizava (termo que dominou as brincadeiras entre os participantes da feira) - diante de situações em que se sentia incomodado, lembra o livro Raul da Ferrugem Azul, clássico de Ana Maria Machado, mas recorre para ações feitas sob medida para uma contação de histórias rica em gestos e palavras mágicas. Hermes domina o olhar do público com sutis trocas de personagens, entonações diversas e bem colocadas, tudo com um estudado trabalho corporal. Encantador.
A frase "lilli, lilli, lilli, bzbzzzzzzzzz, lilliputzzzzzzzzz" colou na boca de quem assistiu às performances de Hermes naquele final de semana e os aplausos caíram sobre ele como a água cai das cachoeiras de Pirenópolis: abundantes e refrescantes. Depois, o ator-escritor apresentou seu livro mais recente E UM RINOCERONTE DOBRADO (ilustrações de Guto Lins, Projeto) e desdobrou o Rino (que havia sido desdobrado a primeira vez no salão da FNLIJ de 2008) para que os presentes pudessem deixar poemas e recados na sua "pele". Nosso recado está lá, ao lado de dois ratinhos desenhados pela Ana Paula (que diz que eu sou o mais gordinho).
Nós esperamos que Lilliput de Sorvete e Chocolate volte às livrarias em breve. Impacientes, eu e Ana Paula, procuramos a primeira edição nos sebos. Estamos certos de que nossos Roedores de Livros da Ceilândia vão adorar os sabores desta história. Delícias de Hermes Bernardi Junior, que se mostrou um gigante também na arte de contar histórias. Queremos mais. Hatuna Matata!

3 comentários:

ludicalivros disse...

Uau!
Parece que foi uma delícia mesmo ouvir o CONTADOR DE HISTÓRIAS.
As fotos passam a energia boa que pairava no ar.
Perdi...snif!

Vou procurar os livros dele para ler.

Um abraço a vocês, parabéns pelo lindo trabalho e pelo encanto que tem este blog.
Adriane

Hermes Bernardi Jr. disse...

Queridos!

esse post foi um carinho enorme, do tamanho do coração de voc~es e desse trabalho lindo que fazem em Ceilândia.

Pretendo, em uma próxima ida a Brasília (em breve), contar o Lilliput para os meninos que certamente, assim como o personagem da história, como eu, como muitas pessoas nesse mundo, já se sentiram "lilliputizados" em alguma situação da vida.

Beijooooooooooooooooooooooooooo
Hermes

Elza disse...

Ahhhh eu tenho esse livro!!
Magistralmente ilustrado pelo Adriano Garcia.
E concordo quando dizem que HERMES BERNARDI JR., assim, tudo maiúsculo é um escritor "tudibom", como dizem minhas filhas.

Tino...postei seu vídeo do youtube no Blog do Inst. Cult. Elias José (ICEJ) já. Obrigada pelo presente.

Parabéns pelo Blog, está cada vez mais encantado.

Tatiana
Coordenadora do ICEJ