terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Entre para a turma!!!

Antigamente a gente formava grupos de amigos na rua de casa. Quando o perigo começou a se avizinhar da rua, a turma passou a se formar nos prédios de apartamentos. Os que ainda moravam em casas ficavam reféns do irmão ou da irmã para formar uma turma de dois, três... Com a modernidade, também surgiram as turmas da internet. No meio de tantas mudanças, uma turma nunca sofreu abalo algum: a da escola.

Desde a terceira série minha turma no colégio era formada por mim, Odailton, Bertolino, Rivelino, Edson, Alírio, Arcelon e outros colegas. Na turma tinha o gordinho, o inteligente, o atleta, o puxa saco e outros tipos. Assim era naquele tempo e acredito que assim é até hoje nas escolas do mundo inteiro. Amigos, seguimos juntos até a oitava série. Foram inúmeras as aventuras que vivemos naquele início da década de 80 que trouxe um novo universo infanto-juvenil com a chegada do vídeo game, da BMX, da Turma do Balão Mágico na TV, dos Trapalhões e do Trinity no cinema.

Na turma do Pequeno Nicolau (René Goscinny, com ilustrações de Sempé, Martins Fontes) não foi diferente: O Agnaldo era o primeiro da classe; o Godofredo tinha pai rico; o Eudes era muito forte;o Alceu passava o dia comendo e era gordo; o Rufino era filho de um policial e o Clotário era o último da classe. O tema, universal (as aventuras da turma da escola), até que ajuda a fazer deste livro um sucesso. Publicado na França em 1960 ele ainda hoje oferece tantas delícias.

O autor, que “fala” através da voz e pensamentos do pequeno Nicolau, consegue o mais difícil e sensacional: imaginar idéias e atitudes que só poderiam sair da cabeça de uma criança. E estas crianças são “criativas” como as que tenho em casa. Como a que fui um dia. São crianças comuns que brigam de brincadeira, que enxergam os adultos e suas atitudes de forma diferente. Que dizem o que vem à cabeça sem nenhum constrangimento. São as tais “verdades infantis” e elas se revelam por todo o livro, arrancando principalmente gargalhadas do leitor, seja ele criança ou adulto – sim, eu ri alto até dentro de um ônibus!!!

Nos anos 70, a série de histórias curtas do Pequeno Nicolau foi publicada no Brasil pela Editora Artenova em dois volumes, com tradução de Marcelo Corção. Hoje, você pode ter a sorte de encontrá-los em algum sebo. Atualmente os direitos deste livro pertencem à Martins Fontes que adotou uma nova tradução – de Luis Lorenzo Rivera - e dividiu as histórias em cinco volumes: O Pequeno Nicolau, As férias do Pequeno Nicolau, Novas aventuras do Pequeno Nicolau, O Pequeno Nicolau e seus colegas e O Pequeno Nicolau no recreio .

No primeiro volume, 19 histórias geniais. Fui visitar o Agnaldo e Luisinha contam as visitas e peraltices do Pequeno Nicolau na casa dos amigos. Foi muito divertido fala de um dia em que o protagonista e seu amigo Alceu resolveram faltar à aula. Os boletins... bem, este nem preciso dizer sobre o que é. Os caubóis é a síntese da brincadeira de criança. O futebol... Impossível não rir. A bicicleta mostra o que pode acontecer quando os adultos interferem na brincadeira das crianças... É hilário. Mas não é bobo. As ilustrações de Sempé compõem o conjunto como se fossem três cubos de gelo e uma rodela de limão num copo de coca-cola. Beba tudo!!! Vai valer cada centavo. Diversão em palavras para a família inteira.

Se a rua ficar perigosa, os amigos do prédio viajarem por alguns dias e a escola entrar em férias, não se preocupe. Faça amizade com a turma do Pequeno Nicolau. Você pode levá-los para o quarto, para a sala, para a casa da tia, para onde quiser. E o que é melhor: vai fazer os adultos olharem admirados para você e soltarem a seguinte frase: - Olha como ele é inteligente!!! Aí, capriche na cara de intelectual, engula o riso e continue brincando com sua nova turma. Ler também pode ser uma brincadeira mais que divertida!!!

P.S. René Goscinny, criador do Pequeno Nicolau, é também o autor dos textos de Asterix. Você não conhece as aventuras do personagem Gaulês? Também vale à pena. Comece por Asteriz, o gaulês. Suas personagens já foram ao cinema e ganharam uma série de desenhos animados, mas o melhor são as Histórias em Quadrinhos.

P.S.2. Na primeira foto, euzinho da Silva, na tradicional pose de estudante... nos tempos da turma da escola!!!

3 comentários:

LP disse...

Tino
Adorei o álbum de fotos, mas não entendi como faço para postar um comentário.
;o(

Amauri de Oliveira disse...

Foi ótimo ver o resgate do Pequeno Nicolau . Foi um dos personagens que, com suas aventuras, marcou muito a minha infância de idas à biblioteca. Hoje tenho a coleção e junto com meus filhos nos divertimos com suas trapalhadas com as mais inocentes da intenções.

Fabio Angelus disse...

[b]Imaginem um site (lugar) onde se pode ler gratuitamente[/b] as obras de
Machado de Assis ou A Divina Comédia, ou ter acesso às melhores
historinhas infantis de todos os tempos.

Um lugar que lhe mostrasse as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci.

[b]Onde você pudesse escutar (de graça) músicas em MP3 de alta qualidade...[/b]

Pois esse lugar existe!

[b]O Ministério da Educação disponibiliza tudo isso, basta acessar
o site: *www.dominiopublico.gov.br*[/b]

Só de literatura portuguesa são 732 obras!

[red]Estamos em vias de perder tudo isso, pois vão desativar o projeto
por desuso, já que o número de acesso é muito pequeno.[/red]

Vamos tentar reverter isso, divulgando e incentivando amigos,
parentes e conhecidos, a utilizarem essa fantástica ferramenta de
disseminação da cultura e do gosto pela leitura.

[red]Ao invés de divulgar o site, é mais barato eliminá-lo , é um absurdo !!![/red]

Divulgue para o máximo de pessoas, www.dominiopublico.gov.br