sábado, 16 de junho de 2007

A educação vem do berço...

Durante todo este tempo trabalhando com educação e, principalmente junto aos Roedores de Livros, percebo o afastamento da família no processo de formação cultural e afetivo das crianças. Não é tão comum os pais adormecerem com seus filhos após uma leitura. Isso é coisa para contar em livros infantis. Digo mais, não é tão comum os pais lerem sequer para si. À escola é dado o dever de educar, de escolher os livros aos quais as crianças "obrigatoriamente" devem ler para a prova de literatura. É um trauma para o resto da vida. Aos pais ficam o direito de "pagar" por esta suposta educação e assistir de camarote a literatura descendo goela abaixo dos seus filhos. Bem, acho que a maioria nem se dá ao trabalho de assistir.
Por aqui, ainda somos daquele tempo em que se dizia que "a educação vem do berço". E aí, chegou até nós o belíssimo livro TODAS AS NOITES DO MUNDO (Dominique Demers, Editora Nacional) que conta a hora em que o garoto Simão vai dormir. Para pegar no sono, ele precisa que o planeta inteiro durma antes e, para isso, seu pai - que conhece as palavras mágicas para adormecer os seres da terra, do céu, da água, e de outros mundos - entra em ação. O livro tem ilustrações MARAVILHOSAS de Nicolas Debon como a que reproduzimos abaixo. Todas com um colorido puxando para o entardecer e repleto de animais.
O livro tem um erro de português, e isso é grave. Por isso, enquanto a editora não corrige com uma nova edição, recomendo que um adulto faça a mediação da leitura junto à criança. O livro, apesar deste escorrego, é ÓTIMO. Outra coisa bem legal é que ele coloca o pai como personagem ativo na história, carinhoso e atencioso com seu filho. Geralmente nestes temas familiares, os livros são repletos de mães, avós, tias... enfim, personagens femininos reforçando aquela idéia ultrapassada de que o afeto vem da mulher e ao homem fica a tarefa de prover a casa. Por isso, em nossa estante de favoritos TODAS AS NOITES DO MUNDO fica ao lado de ADVINHA QUANTO EU TE AMO, O HOMEM QUE AMAVA CAIXAS e MACAQUINHO. Se você é pai, estes livros são ótimos presentes para acalorar mais a relação com seu filho. E se você é filho, pode presentear seu pai como forma de lembrar os bons momentos que passaram ou passam juntos. Acho que é isso: além de uma boa história, TODAS AS NOITES DO MUNDO reforça esta relação tão singular entre pai e filho. Uma forma quixotesca de enfrentar os moinhos de vento destes dias em que a escola - e não a família - é o núcleo da educação. Leve o livro para casa. Desligue a TV por alguns minutos e leia com seu filho. Deixe que a fantasia alimente o amor de vocês. Fartem-se. Hatuna matata.

Um comentário:

Edna Freitass disse...

Muito querida Ana, minha educação vem da rede, rede do Ceará Beach.rsrsr